inomed

A aplicação terapêutica de estimulação magnética transcraniana repetitiva, em particular no tratamento da depressão

A estimulação magnética transcraniana repetitiva - EMTr é um dos tratamentos de escolha, especialmente no tratamento da depressão resistente à terapia. Particularmente quando os medicamentos não ajudam de forma adequada ou apresentam efeitos colaterais, ou caso haja contraindicações para este medicamento, um medicamento é rejeitado pelo paciente, ou caso os pacientes não respondam adequadamente às medidas psicoterapêuticas.

Tratamentos com EMTr em combinação com métodos, tais como farmacoterapia e psicoterapia, também são possíveis. A  estimulação magnética >> é indolor e bem tolerada por pacientes com depressão e não apresenta efeitos colaterais significativos.

Por estes motivos, ela vem sendo cada vez mais utilizada na prática para tratamento da depressão. A estimulação magnética transcraniana repetitiva também possui um elevado nível de evidência no tratamento da depressão resistente á terapia.

Para uma determinação exata da intensidade de estimulação individual requerida e o locus ideal de estimulação, um pulso magnético dificilmente perceptível é gerado, utilizando uma bobina magnética, que é aplicado na cabeça do paciente em casos de depressão; a bobina induz um pulso de estimulação elétrica da região cortical, resultando em despolarização dos neurônios corticais. Através de vários protocolos de estimulação de alta frequência no tratamento da depressão, a atividade cortical é modulada e normalizada através da estimulação alvo do córtex pré-frontal dorsolateral (DLPFC). Uma série de estudos demonstram a eficácia, especialmente no tratamento da depressão.

No entanto, a EMTr é utilizada como uma abordagem terapêutica para uma variedade de distúrbios neuropsiquiátricos, não apenas para depressão.

Além da depressão, a EMTr é considerada como uma opção de tratamento potencial para uma variedade de indicações neuropsiquiátricas adicionais, tais como zumbido, mania, transtorno obsessivo-compulsivo, esquizofrenia, distúrbios de conversão e distúrbio de pânico. Além disso, a eficácia terapêutica da EMTr está sendo estudada em medicina de reabilitação, vícios, distúrbios alimentares, Morbus Parkinson, Síndrome de Tourette, câimbra do escrivão, distonia, dor fantasma, gagueira, etc.

Tanto no tratamento da depressão como no tratamento de outras indicações neuropsiquiátricas, você pode se beneficiar de uma variedade de produtos.